Como os humanos foram criados – Teoria

As verdadeiras origens da história da humanidade permanecem um mistério, mas não é isso que a academia convencional quer que acreditemos. Desde Darwin, a evolução humana e a ‘sobrevivência do mais apto’ foram empurradas para a população como uma espécie de verdade científica, apesar de permanecer uma teoria com múltiplas lacunas e ‘elos perdidos’.E se você questionar isto, em algumas circunstâncias você é quase considerado um louco.

Isso continua a acontecer em muitos campos diferentes do conhecimento; quando você questiona crenças que estão enraizadas há tanto tempo, você recebe uma resposta dura e, em alguns casos, corre o risco de ser multado, preso ou, no mínimo, receber imensa quantidade de ódio e censura. O que não ouvimos é o fato de que existem centenas de cientistas, senão vários milhares, que se manifestaram contra a validade científica da teoria da evolução…

Nosso DNA originou em outro lugar

Até mesmo um dos grandes estudiosos do DNA, Francis Crick, acreditava que o DNA humano deve ter se originado de algum outro lugar da galáxia, pelo que “organismos foram deliberadamente transmitidos à Terra por seres inteligentes em outro planeta”. Também há um artigo que foi publicado por 33 cientistas no periódico Progress in Biophysics e Molecular Biology Journal, sugerindo que a florescente vida durante a era cambriana (Explosão Cambriana) se originou das estrelas.

Com o rápido aumento do número de exoplanetas que foram descobertos nas zonas habitáveis ​​de estrelas anãs vermelhas de vida longa (Gillon et al., 2016), as perspectivas de trocas genéticas entre planetas semelhantes à Terra não podem ser ignoradas. ‘ (O estudo)

Perguntas sérias sobre as origens da história humana não são encorajadas no meio científico de tendência predominante. No entanto, enquanto cavamos um pouco sobre o que está sendo feito, há muito o que descobrir, com novas teorias e descobertas que parecem estar surgindo a cada ano. A educação moderna não está acompanhando isso e, de fato, continua a promulgar velhas teorias e noções há muito tempo refutadas. Como resultado, ninguém além de pesquisadores ardentemente motivados está aprendendo sobre novos desenvolvimentos ou têm algum conhecimento desses pontos de vista.

Abrindo Nossas Mentes

A supressão das descobertas de esqueletos humanoides gigantes se enquadra diretamente nessa categoria, embora o segredo que acoberta o Smithsoniano seja assunto de outro artigo. É suficiente dizer que o acobertamento bem-sucedido da informação é possível, em parte, devido ao fenômeno da ‘dissonância cognitiva’, que demonstra o extremo desconforto com que uma informação que perturba a visão de mundo com a qual você cresceu pode te afetar. Muitos de nós temos e experimentamos isso… Nos dias de hoje, é importante praticar a superação do desconforto para manter a mente aberta.

Considere entreter novas idéias sem necessariamente aceitá-las; apenas dê a elas uma chance de girar em sua mente um pouco. Com novas informações constantemente emergindo em um ritmo acelerado em todos os campos, uma mente aberta é o que mais nos serve. Se nos mantivermos fechados e nos recusarmos a olhar ou reconhecer evidências que contradigam aquilo em que acreditamos, nunca avançaremos para a verdade real, e simplesmente seremos apanhados em um estado agnóstico, sem nunca chegarmos ao fundo das questões que estão naturalmente sobre nossa mente.

O Programa StarGate

O Programa StarGate foi co-fundado por Russell Targ (veja sua palestra banida do TED sobre PES aqui), Hal Puthoff, que agora é membro da To The Stars Academy, com Tom Delonge, e outros nomes notáveis ​​que têm trabalhado nos programas Deep Black Budget (Orçamento Negro Profundo) dentro do governo dos EUA. Eles estão atualmente encabeçando um esforço para deixar o público saber que os OVNIs são reais e que há evidências suficientes para sugerir que, como Luis Elizondo diz, “não estamos sozinhos, o que quer que isso signifique”.

O Programa StarGate investigou fenômenos parapsicológicos, tais como como visão remota, telepatia, telecinese e clarividência. O programa produziu resultados estatisticamente significativos e foi usado várias vezes para fins de coleta de informações. Muitas informações interessantes podem ser vistas na literatura que deixou de ser secreta em 1995, depois que o programa durou mais de duas décadas.

Foi um completo mistério porque o programa foi encerrado: a visualização remota, por exemplo, que é a capacidade de descrever as características físicas em um determinado local, independentemente da distância, foi considerada repetível, até mais do que as descobertas nas ciências exatas, com uma taxa de sucesso de mais de 80%. A visão remota foi a forma com que os anéis ao redor de Júpiter foram realmente descobertos por Ingo Swann, antes que a NASA pudesse medi-los. 

Para resumir, ao longo dos anos, a troca de críticas sobre os protocolos, o refinamento de métodos e a replicação bem-sucedida desse tipo de visualização remota em laboratórios independentes produziram evidências científicas consideráveis ​​sobre a realidade do fenômeno da visão remota. Somando-se à força desses resultados, estava a descoberta de que um número crescente de indivíduos poderia demonstrar uma visualização remota de alta qualidade, muitas vezes para sua própria surpresa. . . O desenvolvimento desta capacidade no SRI evoluiu ao ponto do pessoal da CIA que visitava, sem exposição anterior a tais conceitos, ter tido um bom desempenho sob condições laboratoriais controladas. ”(fonte)

A amplitude da visão remota

Há exemplos na literatura, desde visualizadores remotos que analisaram a tecnologia russa secreta durante a era da Guerra Fria, localizando um avião espião perdido na África, e a previsão de eventos futuros. Sim, juntamente com a visualização remota, surge a capacidade de ver o passado e ver o futuro. Obviamente, isso fica complicado, especialmente se olharmos para a física quântica, que funciona em conjunto com a parapsicologia. Na física quântica, experimentos também mostraram como o que aconteceu no passado pode mudar o futuro, e o que acontece no futuro pode mudar o passado, em escala quântica. 

Havia várias pessoas trabalhando no Programa de Visão Remota, que foi conduzido no Stanford Research Institute (SRI) em conjunto com várias agências de inteligência, e uma delas era Joseph Mcmoneagle. Muitas dessas pessoas, após décadas no programa, continuaram com suas pesquisas e experiências bem depois do programa ter sido desclassificado. Joseph foi um dos mais bem-sucedidos visualizadores treinados pelo Exército, e um dos membros originais do Projeto Stargate. Na verdade, ele foi premiado com a Legião do Mérito por “produzir inteligência crucial e vital, indisponível de qualquer outra fonte” para a comunidade de inteligência.

A origem da humanidade

Em 1983, McMoneagle trabalhou com Robert A. Monroe, fundador do Instituto Monroe em Faber, Virgínia, que forneceu orientação básica fora do corpo para muitos dos observadores remotos militares. Lá, ele conduziu uma sessão buscando descobrir a origem da humanidade.

Como destaca o falecido grande autor e pesquisador Jim Marrs em seu best-seller “Our Occulted History” (Nossa História Oculta):

Durante a sessão de 129 minutos, ele descreveu uma linha costeira no que lhe pareceu ser uma Terra primitiva. Mais tarde, ele estimou um tempo de cerca de trinta milhões a cinquenta milhões de anos após a época dos dinossauros. Correndo ao longo desta linha costeira estava uma grande família de animais proto-humanos peludos, de cerca de 1,20 m de altura, andando na vertical, com olhos exibindo uma centelha de inteligência, apesar de uma capacidade craniana um pouco menor. Duas coisas surpreenderam McMoneagle nesta sessão. Essas criaturas pareciam estar cientes de sua presença psíquica e elas não se originavam daquele local.

McMoneagle descreveu sua experiência em seu livro de 1998, “The Ultimate Time Machine” (A Máquina do Tempo Definitiva):

Esta espécie particular de animal é posta… especificamente naquele lugar de barreira… chamado reunião da terra e do mar… Eu também tenho a impressão de que eles são… ah… eles foram colocados lá. Eles apareceram misteriosamente. Eles não são descendentes de uma espécie anterior, eles foram colocados lá (por uma) nave de semente … não, isso não está certo. Continue querendo dizer nave, mas não é uma nave. Eu continuo vendo um … eu mesmo … Eu continuo vendo … oh, inferno, por falta de uma palavra melhor, vamos chamá-lo de laboratório, onde eles estão realmente inventando essas criaturas. Eles estão realmente construindo animais a partir de genes. Por que eles fariam isso? Podemos fazer isso ainda … aqui e agora? Como cortar genes e depois juntá-los. Você sabe, é como juntar plantas … ou enxertá-las, uma à outra … Interessante, é como se eles estivessem construindo óvulos, injetando coisas neles, com uma mistura de DNA ou partes genéticas.

Ele descreveu essas criaturas como humanoides de aparência delicada, sem uniformes, com uma cauda preênsil e grandes olhos parecidos com os de uma ‘corça’. Eles pareciam estar usando algum tipo de luz que McMoneagle tinha dificuldade em descrever, mas acabou por descrevê-la como uma ‘luz de crescimento’.

Marrs teve a impressão de que era como alguém cuidando de um jardim e plantando sementes, mas “não há nenhuma preocupação com as sementes depois que elas são plantadas… É simplesmente como… bem… coloquemos essas sementes aqui e vamos adiante para um negócio melhor e maior. Nenhuma preocupação sobre retrocesso e verificação do estado das sementes. Elas podem viver ou morrer, sobreviver ou perecer.” A sessão terminou com ele se aproximando no tempo e percebendo que esses seres cresciam em tamanho e habilidade, tornando-se, finalmente, pastores humanos.

A vigilância e a interferência com a humanidade estão documentadas no folclore de quase todas as civilizações que percorreram o planeta. Embora alguns tenham chamado isto de mera ‘interpretação’, isso lembra pessoas que se referem à confirmação de reinos espirituais e metafísicos como resultado da física quântica. Isto é simplesmente rotulado como uma interpretação, devido ao fato de perturbar tantos sistemas de crenças e idéias preconcebidas de longa data.

Considerações finais

A “história” humana tem muitos buracos. Dos fenômenos extraterrestres OVNIs até a descoberta de estranhos restos esqueletais, à rejeição do darwinismo até a existência da inteligência civilizações antigas como a Atlântida, e outras que prosperaram possivelmente milhões de anos atrás, somos como o autor Graham Hancock cunhou , uma espécie com amnésia. Mas talvez estejamos começando a lembrar… O ponto é, o que nos foi dito não é verdade, e o reconhecimento desse fato nos levará no caminho para a verdadeira descoberta, e longe da ocultação e manipulação da informação e da verdade.

Fonte

Deixe seu Comentário!