10 Curiosidades sobre a sonda que vai “tocar” o Sol

A Nasa lançou, na madrugada do último domingo (12), a Sonda Espacial Parker para o espaço, que realizará uma missão única histórica: chegará perto do Sol para melhorar nossa compreensão a respeito de nossa estrela.

Sua jornada não será nem um pouco fácil, pois ela precisará de uma ajudinha de Vênus no meu do caminho. E você sabia que essa missão já havia sido planejada há mais de 50 anos? E que a sonda carrega uma carga especial?

Confira abaixo 10 fatos e curiosidades sobre a sonda que “tocará o sol”

10) O grande objetivo

nasa sol parker

Como já foi amplamente divulgado, a Sonda Espacial Parker tem um objetivo ousado que nenhum outro objeto feito pelo homem já fez: chegar perto da atmosfera do Sol. “Neste verão, a humanidade embarca na sua primeira missão para tocar o Sol”, revelou a descrição oficial da Nasa sobre a missão.

Os grande objetivos da sonda serão entender melhor alguns mistérios sobre o sol e melhorar nossa compreensão sobre como a estrela afeta o campo magnático do nosso planeta.

9) Um esforço de 50 anos

(Fotos: Bill Ingalls / Nasa)
(Fotos: Bill Ingalls / Nasa)

A sonda já foi para o espaço, mas saiba que esse é um esforço que já dura 50 anos.

Por exemplo, a comunidade científica descobriu a corona solar na década de 40 e a existências dos ventos solares na década de 60. No entanto, não existem respostas concretas que expliquem a alta temperatura da corona  ou o que causa a aceleração dos ventos. São questões que só podem ser respondidas se algo se aproximar da nossa estrela.

A primeira vez que se cogitou essa ideia de “tocar” o Sol foi em 1958. Desde então, várias sondas já até chegaram perto da nossa estrela, mas não da mesma forma que a Parker. Assim, ela será a responsável por concretizar mais de 50 anos de esforços de cientistas e astrônomos.

Veja também:   Lago com água líquida em Marte pode ser parte de um grande sistema

8) A primeira sonda nomeada em homenagem a alguém que está vivo

Foto: Nasa
Foto: Nasa

A Nasa tem o costume de nomear suas sondas e naves em homenagem a planetas, deuses gregos e até mesmo um demônio da trilogia O Senhor dos Anéis. Mas a Parker é a primeira a homenagear uma pessoa que ainda está viva.

Nascido em 1927, o cientista Eugene Parker é um físico que teve uma carreira brilhante e ganhou diversos prêmios ao longo da vida. E ele foi um dos primeiros a lançar diversas teorias sobre o sol.

Por exemplo, foi ele que criou o termo vento solar e lançou uma teoria que explicaria o motivo da corona solar ser mais quente que a superfície do sol.

Com certeza, essa foi uma homenagem mais do que justa, não é mesmo?

7) Ventos solares

Foto: Nasa
Foto: Nasa

Agora vamos falar só a respeito dos ventos solares, que serão uma parte importante da missão. Eles se originam a partir da corona solar e podem viajar a uma velocidade de 1.6 milhão km/h.

O objetivo primário da missão é justamente melhorar a compreensão de cientistas sobre esses ventos. Em particular, entender como que a corona solar se aquece e acelera esses ventos para o restante do Sistema Solar.

Esses mistérios só devem ser solucionados se alguma coisa for até a fonte, o que é o caso da sonda Parker. A Nasa espera que as respostas venham até 2025, ano em que a missão será concluída.

6) Um local de difícil acesso

Foto: nbc15.com
Foto: nbc15.com

A Parker terá uma difícil jornada pela frente. Uma missão para Marte já é complicada, mas uma para o Sol exige 55 vezes mais energia.

A distância de 150 milhões de quilômetros do nosso planeta para o Sol é o menor dos problemas. A Terra viaja a uma velocidade de 108 mil km/h e fica praticamente de lado em relação à estrela. Um sonda lançada daqui viajaria lateralmente e deixaria de acertar o alvo. A solução encontrada foi lançá-la para trás, na mesma velocidade que a Terra viaja para frente.

Veja também:   Concentração de CO2 na atmosfera em 2017 foi a maior da história

O outro grande problema é o calor da corona solar, mas já falaremos a respeito disso.

5) Uma ajudinha de Vênus

Foto: universetoday.com
Foto: universetoday.com

Outra parte da solução da Nasa com a questão do movimento lateral é, literalmente, de outro mundo.

Além dos seus foguetes poderosos, a Parker receberá uma ajuda de Vênus. Quando ela se aproximar do planeta, a gravidade do nosso vizinho ajudará a reduzir sua velocidade para que ela se aproxime do Sol. Isso será feito sete vezes em sete anos até que a sonda se encontre em uma velocidade que a permita alcançar o sol sem maiores problemas.

4) O objeto criado pelo homem mais rápido da história

Foto: bgr.com
Foto: bgr.com

A gravidade de Vênus ajudará a reduzir a velocidade lateral da sonda, mas aumentará a velocidade geral. Estima-se que ela alcançará a velocidade de 692 mil km/h, o que transformará a Parker no objeto mais rápido já feito pelo ser humano.

Para efeito de comparação, o objeto mais rápido do momento é a sonda Juno, que viaja a 266 mil km/h. Já a Voyager 1, que está prestes a deixar nosso Sistema Solar, se encontra a 61 mil km/h.

Para se ter uma ideia de como que a Parker viajará muito rápido, ela será capaz de percorrer 225 km em apenas 1 segundo.

3) O escudo de calor

Foto: Nasa
Foto: Nasa

O escudo de calor da Parker é tão impressionante quanto sua velocidade máxima.

Ele possui 2.4 metros de diâmetro e está localizado a sua frente para proteger seus instrumentos e refletir o calor do Sol. O escudo é composto por uma placa de carbono com grossura de 11,4 cm e cercada por espuma dos seus dois lados. E ele pesa apenas 73 kg.

Veja também:   Aquecimento global: cadáveres antigos reaparecem em geleiras derretidas na Suíça

E o próprio escudo será uma forma de estudar as diferenças entre temperatura, que é uma forma de medida, do calor, que se trata da transferência de energia. Ele será capaz de proteger a sonda de uma temperatura que varia entre 1.1 e 1.7 milhão de graus Celsius.

2) A sonda mais autônoma da história

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Outro motivo que explica por que o escudo conseguirá resistir ao calor do Sol são os seus softwares. Como existe um intervalo de oito minutos para realizar a comunicação até nossa estrela, e em alguns casos, a sonda precisará fazer correções em questão de segundos, seus programas já estão preparados para fazer eventuais mudanças por conta própria.

A sonda já está programada para qualquer cenário que aparecer pela frente. Por exemplo, ela pode rotacionar o escudo e até mudar sua direção, se necessário.

Por isso, ela já ganhou o nome de “sonda espacial mais autônoma da história.”

1) Uma carga especial

xxxxxxxxxxxxx

Por fim, uma missão especial como essa também precisa ter um atrativo a mais, não é mesmo? Tanto que está levando uma carga bem especial.

Em março, a Nasa convidou o público a deixar seus nomes em um cartão de memória que ficará no interior da sonda. O ator William Shatner, que interpretou o Capitão Kirk em Star Trek, se tornou o porta voz da campanha e gravou um vídeo para a agência espacial convocando o público.

Pouco mais de 1 milhão de pessoas, incluindo o próprio Shatner, fizeram a solicitação e gravaram seus nomes nesse cartão que está no interior da sonda.

Fonte

Veja Também: Faça uma viagem pela Lua com este Vídeo!

Deixe seu Comentário!